You are currently viewing O CONFUSO MUNDO DA PUBLICIDADE E DO MARKETING DIGITAL

O CONFUSO MUNDO DA PUBLICIDADE E DO MARKETING DIGITAL

O mundo da publicidade e do marketing digital é repleto de termos, expressões e conceitos que para muitas pessoas soam estranho, mas nossa área é mais simples do que você imagina.

Saber o que é marketing, a diferença entre publicidade e propaganda e outros termos que compõe nosso trabalho ajuda no relacionamento com nossos atuais e futuros clientes e por isto resolvemos desenvolver este material. As partes envolvidas nessa parceria precisam estar no mesmo passo, a fim de atingir as metas pré-estabelecidas e a satisfação por um produto de qualidade.

Com objetivo de facilitar a compreensão de todos e para você que tem interesse em se aprofundar sobre publicidade, a ‘Blah- Ideias Que Funcionam’- elaborou esse pequeno guia sobre alguns dos conceitos trabalhados por nós e que te ajudarão a entender melhor nosso trabalho.

Marketing

O conceito de marketing vem do inglês, market que significa mercado e marketing entende-se como mercadologia. Ele consiste nas técnicas e estratégias para agregar valores aos produtos e levar as marcas até os consumidores. O marketing vai além da simples produção para vendas, mas abrange conceitos, ideias e valores presentes na relação entre o mercado seus consumidores.

Teorizando o significado de Marketing, o livro “Marketing de A a Z (2003)” de Phillip Kotler define Marketing como ‘ função empresarial que identifica necessidades e desejos insatisfeitos, que mede sua magnitude e seu potencial de rentabilidade especifica que mercados-alvo serão mais bem atendidos pela empresa, decide sobre produtos, serviços e programas adequados para servir a esses mercados selecionados e convoca a todos na organização para pensar no cliente e atender ao cliente’.

Para facilitar ainda mais a compreensão do marketing, Kotler dividiu em quatro conceitos que sustentam essa área e são chamados de ‘quatro Ps do Marketing’: produto, preço, praça e promoção. Os ‘Ps’ sintetizam os pilares dessa ciência e a partir disso podemos nos aprofundar nas vertentes mais importantes que integram o marketing.

Falaremos agora sobre algumas das ferramentas que integram o “P” da promoção, ou, que trazido para o seu significado real pode ser substituído por comunicação e que fazem parte dos principais serviços oferecidos pela Blah.

Começaremos falando de uma das formas de comunicação que mais cresce atualmente, o Marketing de Conteúdo, ou Inbound Marketing.

Marketing de conteúdo / Inbound Marketing

Para quem não sabe, além de uma agência de comunicação especializada em Propaganda e Marketing Digital, a Blah também trabalha na elaboração de conteúdo e estratégias de inbound marketing sob medida para seus clientes.

Trabalhamos com desenvolvimento de artigos, vídeos promocionais, releases, resenhas de produtos, ensaios fotográficos e tudo aquilo que for necessário para produzirmos conteúdos cada vez mais relevantes e que vendam de forma natural os produtos dos nossos clientes.

Um produto não se vende sozinho. É nesse momento que entra o marketing de conteúdo, uma área especializada em levar ao consumidor conteúdos informativos e valiosos que induzirão o público-alvo a ter uma boa avaliação da marca.

A principal diferença entre o Inbound Marketing e marketing tradicional (também conhecido como Outbound Marketing) é que no Inbound quem vai atrás do cliente é a empresa e não o contrário. Por isso a importância de se produzir os conteúdos relevantes ao público-alvo é grande nesse tipo de marketing.

Para ter sucesso o inbound marketing utiliza cinco etapas para atrair os potenciais clientes, que são atrair, converter, relacionar, vender e analisar. Vamos explicar agora cada uma delas a seguir.

Atrair: um site vive de leads, e sem o acesso dos usuários as vendas estacionam. A conquista dos clientes acontece por meio da produção de conteúdos interessantes, capazes de despertar empatia nas pessoas. Por isso os conteúdos produzidos valem muito mais do que correr atrás diretamente do público-alvo.

Converter: Complementar a etapa anterior, a conversão começa a partir do interesse no conteúdo produzido que transforma o visitante em um lead no processo de compra. Com isso o cliente transmite suas informações e em troca a empresa deve ter ofertas para estabelecer uma relação. É aí que entram as maneiras de acenar para o público-alvo com as ofertas diretas, indiretas, iscas e outras formas.

Relacionar: Mesmo com o as primeiras etapas cumpridas, os clientes ainda não estão no processo de decisão de compra. Nesse momento que a empresa entra com as estratégias de relacionamento para transformar os diferentes estágios de leads e acelerar a compra. Para isso os e-mails marketing continuam como grandes retornadores de investimentos, enviando apenas mensagens interessantes para leads segmentados que já demonstraram interesse e solicitaram informações adicionais sobre determinado assunto, produto, serviço, entre outros.

Vender: A produção dos conteúdos relevantes aos leads faz com que uma oportunidade de negócio para as empresas aconteça e chega a hora de ratificar a compra de um produto. Em alguns casos as vendas ocorrem no próprio site, em outros é preciso o contato direto entre vendedor e cliente.

Analisar: Realizado o processo de investimento em produção de conteúdo e com as vendas devidamente registradas, chega a hora de analisar tudo que foi feito, a fim de rever e aprimorar as estratégias feitas dentro do inbound marketing. E o melhor de tudo é que existem diversas ferramentas que auxiliam na análise de todas as etapas para que no próximo ciclo o sucesso seja ainda maior.

Portanto na hora de dar segmento à estratégia de divulgação de uma marca os planos, objetivos, ideias, plataformas de divulgação devem estar previamente estabelecidos para que o marketing de conteúdo seja a ‘cereja do bolo’ na disputa por visibilidade no mercado empresarial.

Marketing digital

O mundo digital, como o próprio nome já diz, envolve a internet. Resumidamente, o marketing digital consiste na propaganda de produtos ou marcas por meio da rede digital. É uma forma de divulgação que não demanda investimentos tão maciços quanto a veiculação de campanhas em TVs por exemplo, mas que precisa ser executada de forma precisa e dinâmica para o público-alvo.

O marketing digital surgiu em meados dos anos 90 com a criação da internet chamada ‘Web 1.0’. Ele consistia apenas em uma plataforma que os usuários acessavam as informações a partir de mecanismos de busca simples. Com isso a comunicação entre consumidores e empresas não existia, apenas as empresas anunciavam sem o feedback do público.

Nos anos 2000 com a evolução das telecomunicações, o marketing digital ficou com a forma que conhecemos atualmente, com a relação entre empresas e consumidores cada vez mais interativa e próxima. O número de usuários da rede mundial de computadores cresce bastante no país e no mundo e a necessidade de divulgação de uma marca ou mesmo um produto por meio de internet é grande.

Algumas ferramentas como o email marketing, as lojas virtuais e as redes sociais contribuíram para fortalecer o marketing digital. A praticidade delas faz com que o contato entre consumidores e vendedores seja a todo instante, 24 horas por dia. Ferramentas mais complexas como, SEO (otimização para mecanismos de busca), SEM (Search engine marketing) ajudaram os sites a ficarem ainda mais fáceis de ser encontrados pelos mecanismos de busca. Para facilitarmos sua compreensão explicaremos algumas dessas ferramentas utilizadas no marketing digital.

Email Marketing: Ferramenta que ajuda no relacionamento entre cliente e empresa. Com o email marketing você consegue medir o alcance de sua campanha, além de ser lembrado por seus atuais e futuros clientes. Ele também dispensa protocolos e empecilhos na comunicação, basta responder e ter um atendimento.

Redes Sociais: O Facebook, o Twitter, o Myspace são redes sociais bem difundidas e utilizadas por diversos usuários do planeta. Mas você conhece Pheed, Pergunter e Medium? Essas são novas redes sociais que vêm aumentando seu número de usuários e se destacando por sua nova forma de interatividade na internet.

SEO: O SEO ou Search Engine Optimization (em português otimização para mecanismos de busca) faz com que um site fique posicionado em destaque nas primeiras páginas dos sites de busca (Google, Bing) por meio de técnicas e estratégias de divulgação, como por exemplo, o uso de palavras-chave relacionadas ao site.

SEM: O SEM ou Search Engine Marketing (definido por alguns como marketing de otimização em buscadores) é um conjunto de estratégias do marketing digital que trabalha com as ferramentas de busca e promove um site nas páginas de resultados de pesquisa de um navegador.

Portanto a importância de se realizar o marketing digital de acordo com as necessidades do público e que atenda os interesses das marcas se torna vital para o sucesso no mercado atual. Caminhamos para a personalização da informação, que é a mensagem específica para cada pessoa na hora e locais exatos. E a internet terá o papel decisivo no funcionamento das atividades humanas, inclusive o marketing digital.

Publicidade e propaganda

Em muitas das vezes publicidade e propaganda são usadas erroneamente como sinônimos, entretanto são áreas não tão semelhantes assim. Enquanto a publicidade está relacionada à divulgação de algo voltado para o público, a propaganda trabalha com as ideias e conceitos voltados a persuasão do público.

A gramática já ensina a diferença entre as duas áreas: publicidade vem do latim ‘publicus’ e significa qualidade do que é público. Já propaganda vem também do latim ‘propagare’ e quer dizer multiplicar e propagar.

A publicidade envolve a comunicação com as massas, com a intenção de trazer ao público-alvo as características e informações de determinado produto ou serviço. A partir das informações divulgadas por meio de jornais, revistas, internet e outros meios, a publicidade consegue executar o segundo passo para cativar o consumidor que é a persuasão.

Segundo Mário Erbolato, autor do livro ‘Dicionário de Propaganda e jornalismo (1985)’ a publicidade pode ser entendida como a arte de despertar no público o desejo de compra, levando-o a ação, ou também como conjunto de técnicas de ação coletiva usadas para promover o lucro de uma atividade comercial, conquistando, mantendo ou aumentando o número de clientes.

Outros conceitos de publicidade são vistos no livro ‘Dicionário de comunicação (2001)’ de Carlos Alberto Rabaça e Gustavo Barbosa, que entendem a publicidade não como uma área de comunicação de persuasão de ideias, mas sim como uma divulgação, tornar público, informar sem tentar convencer o público-alvo. Os autores ainda dividem a publicidade em comparativa e legal, em que a primeira consiste nos anúncios feitos para TV e rádio para destacar produtos, já a segunda é voltada para jornais, revistas e publicações especializadas por meio de atas, editais, de cunho jurídico e fiscal.

Já a propaganda, segundo o livro ‘Dicionário de Marketing e Propaganda (1976)’ de Zander Campos da Silva, é dividida em dois tipos: política e comercial.

A propaganda política é a divulgação de opiniões, pensamentos, informações e afirmações baseada em fatos verdadeiros ou falsos visando influenciar o comportamento de determinado público em geral ou específico.

Ainda segundo Zander Campos da Silva, a propaganda comercial pode ser entendida como divulgação de mensagens por meio de anúncios para persuadir o consumidor. Essa modalidade desenvolveu-se como uma técnica do processo de vendas em massa e assumiu nos países de língua latina o sinônimo de publicidade, sem diferenciação dessas duas palavras.

Para ‘Dicionário de comunicação (2001)’ de Carlos Alberto Rabaça e Gustavo Barbosa, a propaganda é um processo de disseminar informações com fins ideológicos (políticos, religiosos, mercadológicos entre outros). São as técnicas de informação e persuasão para moldar sentimentos e opiniões de determinado público. Ela pode ser divida em três tipos: propaganda política, comparada e subliminar segundo os autores.

Por mais que publicidade e propaganda sejam vistos como semelhantes, são áreas que têm suas particularidades, mas que no fim das contas são complementares e fazem a comunicação ficar ainda mais fortalecida.

O mundo da publicidade, do marketing e das outras áreas que compõem a comunicação é repleto de estudos e conhecimentos disponíveis a todos. Pensando nos que se interessam por aprofundar mais nessa área e no melhor para nossos clientes, agradecemos a leitura e gostaríamos de convidar a você para conversarmos melhor e esclarecermos mais sobre nossos ramos de atuação. Faça uma visita a Blah- Ideias que funcionam- e teremos o prazer de recebê-lo!